Digital clock

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

0ito do oito de dois mil e oito

Que te direi, se me interrogas?
As nuvens falam?
Não. As nuvens tocam-se, passam, desmancham-se.
Às vezes, pensa-se que demoram, parece que estão paradas...
Confundiram-se.
E até se julga que dentro delas andam estrelas e planetas.
Oh, aparência...Pode talvez andar um tonto pássaro perdido.
Voz sem pouso, no tempo surdo.

(Fragmento do poema “Contemplação”, de Cecília Meirelles)

5 comentários:

Ana Luiza disse...

Faz 30 anos, hoje, que perdi meu pai. Gostaria de acreditar que ele está no meio dessas nuvens. Beijo.

Marie Tourvel disse...

Querido, que lindo! Só contemplando o poema... Um grande beijo.

Beth Cruz disse...

Você sempre fazendo a diferença!
Por isso deixei um selo para você lá no meu blog.
È uma brincadeira entre blogueiros, que cabe a você decidir o que fazer.
Eu criei minhas regras, rsrsrsss
Beijo

Obs: abusando um pouquinho, manda para mim dicas de como faço para colocar marca d'água em fotos.
Meu email é elizabeth_c_cruz@hotmail.com
Que abuso né!

Beth Cruz disse...

Valeu Ronald!
Vou olhar com calma os links que você me enviou, e qualquer dúvida eu te falo.
Obrigada pela gentileza,
Beijo.

Beth Cruz disse...

Olha eu aqui novamente! Rsrsrsrssssss
Ronald, vim abusar da sua amizade e te fazer um pedido: Está rolando na blogosfera um movimento que eu gostaria que você conhecesse e quem sabe, participasse.
Tenho certeza que com sua criatividade e brilhantismo ao escrever, você será uma pessoa de mais valia nesse movimento.
Passe lá no meu blog e conheça.Obrigada,
Beijo